Flexibilidade e Alongamento:

Alongar ou não alongar? Eis a questão.

Parece uma duvida shakespeariana, mas na verdade tem acometido a maioria dos atletas e treinadores envolvidos seja no esporte amador, seja no de elite.

Primeiro cabe uma diferenciação entre o que seria alongamento e flexibilidade. Esta é a qualidade física que permite que um determinado movimento seja realizado com a maior amplitude possível, dentro das capacidades morfológicas. Aquele por sua vez é o trabalho que permite a manutenção ou aumento dos arcos de movimento e, portanto, da flexibilidade, uma vez que atua diretamente nas estruturas moles (músculos, tendões, aponeuroses…) que podem restringir o movimento.

Aí temos outras questões envolvidas: em que momento devo alongar, antes do aquecimento, depois dele, depois do treino e de que forma devo fazer isso?

É fato que o aumento da temperatura intramuscular facilita o trabalho de alongamento o que nos dá a primeira resposta. Devemos fazer o alongamento após um breve aquecimento que possibilitará o aumento da temperatura interna e uma diminuição da viscosidade dos líquidos orgânicos e das estruturas envolvidas. Esse “breve” obviamente terá a duração necessária para que o corpo comece a suar (um sinal de que estamos aquecidos), portanto em temperaturas mais altas a duração do aquecimento será mais curta.

Sabendo que alongamento deve ser feito no pós-aquecimento, surge outra dúvida: que tipo de alongamento devo fazer?

Existem basicamente dois tipos de alongamento que são do interesse da maioria dos atletas: o alongamento passivo ou estático e o alongamento dinâmico, ativo ou balístico.

O primeiro é aquele em que uma articulação é levada até seu ângulo máximo de alongamento e esta posição é mantida por 3 a 60 segundos. Já o segundo consiste de movimentos repetidos, com uma velocidade moderada, buscando sempre aumentar a amplitude do movimento.

O alongamento estático agudo, ou seja, aquele feito imediatamente antes da atividade, tem sido relacionado a perdas na capacidade do músculo exercer força e por consequência prejudicando a velocidade.

Já o alongamento dinâmico utilizado pós um breve aquecimento e como complemento deste melhora as respostas musculares relacionadas a atividades intensas.

E depois do treino, devo alongar também? E de que maneira devo fazer?

Após o treino é consenso que o trabalho de alongamento ajuda a relaxar a musculatura laje favorece a retirada de metabólitos e mantém os arcos de movimento intactos impedindo o aparecimento de lesões, principalmente as inflamações de tendões e fascias relacionadas ao exercício realizado.

Portanto fica a dica: faça uma alongamento dinâmico como complemento do aquecimento anterior ao exercício e após, um alongamento estático das principais articulações e músculos envolvidos no mesmo, estirando e mantendo a posição por um tempo entre 30 e 60 segundos.

 

There are no comments on this post.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *